© 2015 por Clinica Politano

 

O revestimento interno do útero chama-se endométrio. A presença de célula desse tecido – células endometriais – localizadas fora da cavidade uterina é conhecida como endometriose. Hoje a doença afeta mais de 6 milhões de mulheres e estudos são realizados em todo o mundo com o intuito de elucidar o mecanismo de atuação, ainda desconhecido.

 

Quais os principais sintomas de endometriose?

A dismenorreia (cólica menstrual) incapacitante que interfere nas atividades diárias é o principal sintoma e aquele que fazem médico e paciente investigar endometriose. Em algumas situações a “dificuldade” de engravidar pode também ser um caminho que leva a pesquisa de endometriose. Num caso mais avançado surgem as alterações urinárias e intestinais.

 

Toda cólica menstrual é endometriose?

Não. Toda cólica menstrual merece uma consulta médica para investigar se é uma dismenorreia (cólica) primária em que não há uma doença associada ou se é secundária por endometriose ou mioma ou adenomiose ou outra as associações.

 

Se a minha mãe teve endometriose eu vou ter?

Não. A hereditariedade apesar de se levar em conta não é um fator importante. Hoje em dia os estudos estão procurando uma possível relação da endometriose com a condição imunológica individual.

 

Existe uma relação do Câncer com a endometriose?

Apesar de existirem trabalhos que demonstrem alguma relação do Câncer de ovário com a endometriose, ainda faltam evidências cientificas que justifiquem mudanças nos protocolos. Apesar da pouca probabilidade médicos e mulheres sempre devem estar atentos a essas possibilidades.

 

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico nas fases iniciais da endometriose é muito difícil, pois nem sempre a mulher apresenta uma queixa e um exame sugestivos . O diagnóstico definitivo é feito pela videolaparoscopia ( temos um “saiba mais” sôbre videolaparoscopia) e por ser uma intervenção cirúrgica, uma anamnese (informações das pacientes) detalhada, um criterioso exame clinico complementado por exames de laboratório e ultrassonografia pode selecionar as mulheres de risco que devam realizar o procedimento.

 

Como é feito o tratamento da endometriose? Existe reincidência?

O tratamento da endometriose depende do grau de extensão. Na maioria das vezes ele é clinico e cirúrgico. A comunidade cientifica pesquisa sempre novos tratamentos que possam minimizar a probabilidade de reincidência e agravamento dos casos de infertilidade. Os tratamentos, naquelas mulheres que não pretendam gestar visa suprimir a menstruação para evitar a formação de novos focos de endometriose e assim diminuir a chance de recorrência.