Aleitamento materno

 

Estudos demonstram que o aleitamento materno exclusivo até o sexto mês de vida pode evitar, anualmente, mais de 1,3 milhão de mortes de crianças menores de 5 anos nos países em desenvolvimento (Lancet 2008)As mulheres diferentemente dos outros mamíferos necessitam serem estimuladas a amamentar e esse momento único compartilhamento de mãe e filhos traz benefícios para o binômio mãe/filho. Se pelo lado materno ocorrem menor sangramento uterino, recuperação mais rápida do peso pré gestacional e anticoncepção por alguns meses quando a amamentação é exclusiva, os benefícios para a criança são ainda mais relevante quando comprovamos crianças amamentadas ao peito apresentam menores índices de alergias em geral, diarreias, doenças respiratórias, otites e morte súbita.

 

durante a gestação

É muito importante que obstetras e gestantes conversem sobre a amamentação durante a gestação pois nesse período ocorrem mudanças devido ao desenvolvimento de tecido glandular quiescente. As mamas aumentam de tamanho e firmeza, e ficam nodulares. O aumento é perceptível algumas semanas após a concepção e continua por toda a gestação. e essas alterações são freqüentemente acompanhadas por uma sensação de dor e peso nas mamas. Os mamilos ficam mais móveis , e será mais fácil para o bebê apreende-los para mamar. O aumento do tamanho das mamas é muito individual, mas a media é de cerca de 700 g para cada mama. Há uma proliferação progressiva do tecido glandular com os dutos se alongando muito e os alvéolos e lóbulos desenvolvem-se nas extremidades de muitos dos ramos. No final da gravidez ocorre um aumento da atividade secretória e os alvéolos e dutos ficam distendidos pelo colostro e durante a lactação eles ficamdistendidos por leite.

 

durante a lactação

A lactogenese (produção de leite) é intensificada após 24 a 48 horas do parto. Os níveis de estrógeno e progesterona começam a declinar e a prolactina, cuja quantidade vinha aumentando durante toda a gestação, é então liberada. Com o passer das horas e dias ocorre a liberação de mais sangue para a região dos alvéolos, deixando os seios firmes e cheios. Vasos sanguíneos meio inchados, combinados com a abundância de leite, podem deixar as mamas temporariamente doloridas, quentes e cheias demais, e provocar um ingurgitamento mamário, porém a própria amamentação ajudará a aliviar o desconforto inicial. Colostro Nos primeiros dias de aleitamento, o bebê será alimentado pelo colostro uma substância viscosa rica em proteinas e anticorpos que ativam o sistema imunológico do bebê que pode ser liberado nas últimas a “descida” do leite " ocorre pr uma sequencia de fatores: o bebê suga o mamilo, o que estimula a hipófise a liberar os hormônios ocitocina e prolactina para a corrente sanguínea. Ao alcançar seu seio, a ocitocina provoca a contração dos pequenos músculos ao redor dos alvéolos cheios de leite. O líquido passa então para os ductos, que o transportam para os ductos que ficam pouco abaixo da aréola do seio. Ao sugar, o bebê faz com que o leite dos ductos chegue à sua boca.

© 2015 por Clinica Politano